quinta-feira, 30 de julho de 2009

Diferentes tipos de texto...

A matéria jornalística

Não confudam matéria jornalística com reportagem. A primeira é designada para abastecer as páginas de um veículo impresso (jornal, revista e internet). Já a segunda, utilizamos quando trata-se de algo produzido para um veículo televisivo ou radiofônico.
Conteúdo suscinto, objetivo e imparcial. Essas são as expectativas que ambas denominações citadas acima, devem atender.
Adjetivos e provérbios não são recomendados nestes casos. A opinião do jornalista jamais deve ser evidenciada. É como relatar um fato (com opinões diferenciadas sobre o assunto, estatísticas e dados concretos) com requintes de detalhes, porém, isento do julgamento do autor.
Nenhum texto é 100% imparcial. Isso é impossível!
O tema é direcionado, de acordo com as convicções de quem o escreve, como por exemplo:

Se o jornalista for a favor da eutanásia, utilizará como manchete:
- Eutanásia é o fim do sofrimento

Se o jornalista for contra a eutanásia, utilizará como manchete:
- Crimes são cometidos com a eutánasia

Perceba a opinião expressa porém, de uma forma bem sutil. O texto jornalístico informa, cabe ao leitor o julgamento final.

A crônica

Nesse estilo de texto, nem sempre há um compromisso com a verdade.
Criamos personagens (fictícios ou reais), contamos um fato (geralmente relacionados com o cotidiano, que pode ser verídico ou não), utilizamos apelos emocionais para dar ritmo e entreter o público leitor.
A leveza da crônica consiste na construção de parágrafos narrativos, breves, triviais e carregados de humor.
Na minha opinião os melhores cronistas da atualidade são Ivan Angelo e Walcyr Carrasco. Ambos, publicam textos na revista Veja São Paulo.

O artigo

Talvez seja o texto mais fácil de escrever, pois, não requer muitas técnicas.
Geralmente os blogs são construídos a partir desse formato. É basicamente o que o autor decide comunicar, e muitos o fazem em primeira pessoa do singular.
É comum o artigo ser composto de apenas uma idéia central, que vem identificada logo no primeiro parágrafo. Nos seguintes, há a defesa, argumentações e fatos dispostos em ordem cronológica.
A grande sacada é provar (através de suas explicações) tudo que defendeu ao longos dos parágrafos.
Empregar a técnica da pirâmide invertida do texto jornalístico é interessante para prender a atenção do leitor. Seu texto tem que ser atrativo logo nas primeiras linhas, garantindo assim com que seja lido até o fim.
Preste atenção para não deixar sequências soltas. Amarre as idéias.

A Descrição

A descrição é uma linguagem muito utilizada em livros (ficção, romances, novelas, contos, entre outros).
É citar os aspectos mais relevantes dos personagens da trama, cenário, paisagem, objetos, etc. Serve para dar ênfase e destaque ou ainda trazer entendimento para o leitor de forma que ele imagine o que está sendo contado.

A Narrativa

Narrar é como contar uma história. Você pode ser personagem presente (em primeira pessoa do singular) ou ser o narrador observador (que não participa dos fatos).
O que caracteriza realmente uma narração, é o fato (enredo) e o personagem (s), ambos caminhando juntos ao longo dos parágrafos.

A Dissertação

Defender uma idéia, um ponto de vista, analisar, discutir esse é o objetivo da dissertação.
Logo nas primeiras linhas, já é possível perceber qual será o tema e o argumento central.
É um texto rico em dados, exemplos e geralmente é finalizado com uma conclusão bem formulada sobre o assunto.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Entenda o RDH (Relatório de Desenvolvimento Humano)


A qualidade de vida muitas vezes, não está associada a uma geração maior de renda. Uma coisa não está atrelada a outra, de forma automática.
Pobreza não significa apenas a falta de dinheiro. Muito mais do que isso, é a privação de necessidades básicas como: acesso à educação, expectativa baixa de vida, entre outros.
Ao contrário do PIB (Produto Interno Bruto), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos em um país durante certo período, o RDH (Relatório de Desenvolvimento Humano) tem como foco central, o desenvolvimento do ser humano e não as riquezas que ele possui.
Este conceito surgiu em 1990. A partir de uma análise mais precisa de dados, é possível ampliar a liberdade das pessoas e remover alguns obstáculos que a impedem de obter um padrão de vida digno.
Uma pessoa não alfabetizada, obviamente é considerado indivíduo como outro qualquer. Porém, ele acaba sendo diferente da 'sociedade' e talvez nem consiga participar ativamente desta, pois, sua falta de conhecimento não lhe dá estrutura suficiente para partilhar de conhecimentos políticos de seu país.
É através do índices apresentados pelo IDH, que são elaboradas políticas públicas para reverter situações conflitantes para a população.

IDH (3 tipos de análise)

- Longevidade
- Educação
- Renda

Índice de Longevidade: Expectativa de vida ao nascer, coleta de lixo, água potável, esgosto, mortalidade materna, saúde e salubridade.

Índice de Educação: Taxa de alfabetização (15 anos ou mais), taxa bruta de matrícula nos ensinos fundamental, médio e superior, com relação à população de 7 a 22 anos).

Índice de Renda: Poder de compra da sociedade.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Tecnologia Social...adote essa idéia!

O soro caseiro, aquela receita básica que todos sabem fazer e que não requer nenhum tipo de habilidade ou segredo, é uma solução 'sustentável' para a queda da desidratação infantil.
A multimistura à base de folhas, sementes e farelos é um importante complemento alimentar, que contribui para diminuir os índices de desnutrição.
A construção de cisternas, usada para captar e armanezar água da chuva, é responsável por abastecer parte da população do semi-árido.
Essas ações inovadoras são formas de organizar o uso de recursos disponíveis, de uma forma criativa e de baixo custo, para amenizar alguns problemas do país.
Todos esses exemplos, são chamados de Tecnologias Sociais, uma importante ferramenta de fortalecimento e inclusão social.
Com foco na qualidade de vida da população, na preservação dos recursos ambientais, no desenvolvimento humano em todas suas dimensões, esses projetos quando posto em prática, fomentam os empreendimentos solidários.
Além, de mobilizar a população para atingir determinado objetivo, as Tecnologias Sociais geram processos de aprendizado coletivo e contínuo, participação popular dos problemas locais, autonomia, mudanças de comportamento e transformação social.
Os meios de comunicação seria o canal mais apropriado para divulgar essas iniciativas e torná-las mais conhecidas pela sociedade, porém, a imprensa não faz uma cobertura qualificada desses temas.
Organizações do terceiro setor, universidades, instituições de pesquisas, fundações, empresas e governos, são estes os atores principais que acompanham, estudam a viabilidade, apóiam e auxiliam na execução e implantação dessas alternativas de combate aos problemas sociais.
Não podemos confundir projetos ou programas sociais com Tecnologia Social, essa se difere das outras pois, requer o envolvimento irrestrito da comunidade para surtir um bom resultado.

Fonte de pesquisa - Livro: Desafios da Sustentabilidade (Tecnologia Social) - Andi, Fundação Banco do Brasil, Petrobrás e Cortez Editora.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Você sabe o que é sustentabilidade?

O termo ‘sustentabilidade’ está em voga. A preocupação constante com o meio ambiente e o futuro do planeta terra, fez com que essa palavra se incorporasse ao nosso cotidiano. O desenvolvimento sustentável, surgiu no final do século XX para atender a necessidade de equilibrar os recursos ecológicos mundiais.
Existem várias vertentes relacionadas ao tema (que é amplo e um pouco complexo).

O que é desenvolvimento sustentável?
É se desenvolver economicamente, sem comprometer e esgotar os recursos naturais, ou seja, a prioridade é aliar crescimento com conservação ambiental. Essa preocupação criou uma mobilização mundial em torno do assunto, imprescindível para a sobrevivência das futuras gerações.

E como isso funciona?
A reutilização de materiais reciclados pelas indústrias é uma forma de desenvolvimento sustentável, pois, reduz o uso de matérias-primas.

O que é consumo sustentável?
A reciclagem que você faz em casa (separando papéis, vidros, plásticos e metais), o fato de fechar a torneira ao escovar os dentes ou o chuveiro para se ensaboar, armazenar água da chuva para lavar um quintal, todas essas e outras ações, fazem parte do conceito de consumo sustentável.
Trata-se de um processo de conscientização da população, uma mudança no estilo de vida, em prol da preservação do meio ambiente.

O que é uma marca sustentável?
A Natura pode ser considerada uma marca sustentável. Sua principal filosofia é produzir a partir, do uso sustentável, da biodiversidade botânica brasileira.
A implantação da reutilização de refis (que utilizam 30% a menos de matéria-prima), substituição da gordura animal pela gordura vegetal, do óleo mineral para o óleo vegetal, coletar através das consultoras, embalagens descartadas e encaminhá-las para cooperativas de reciclagem (em 2007 foram recolhidos 90 toneladas de resíduos) além, de financiar um projeto de reflorestamento, são ações de uma empresa que cumpre seu papel na responsabilidade social e contribui para a preservação do ec0ssistema (fonte:acv.ibict.br).

O que é uma escola sustentável?
Os alunos recebem um aprendizado prático sobre sustentabilidade. Desenvolvem por meio de projetos, pensamentos críticos, resoluções de problemas, tomada de decisões, análise, aprendizado, cooperativismo, liderança, enfim, ensinamentos que mostrem a importância da natureza para a criação de ambientes produtivos, sustentáveis e ecológicos. A escola fornece ferramentas para a construção de um futuro sustentável, onde o principal objetivo é ensinar a produzir.
Descobrem a natureza através da ciência, matemática, literatura, arte e ciências sociais (fonte: www.ecocentro.org).

Todo cidadão pode contribuir para o planeta terra se tornar sustentável. A reciclagem de resíduos é uma solução criativa e não requer nenhum investimento. Veja quais materiais podem ser coletados:

- Papel
Embalagens, papelão, jornais e revistas, folhas de cadernos, fotocópias (xerox), envelopes e rascunhos, listas telefônicas, impressos (panfletos, notas fiscais, cartas), papéis de escritório, sacos de papel e embalagens longa vida.
Observação: Rasgue os papéis ao invés de amassá-los.

- Vidro
Potes em geral, copos, garrafas, embalagens de remédio.
Observação: Neste caso os cacos podem ser reciclados também, desde que armazenados com cuidado para evitar acidentes nos postos de coleta.

- Plástico
Embalagens de alimentos, bebidas, limpeza e beleza, tampas, potes, copos, canos e tubos, peças de brinquedos e sacos em geral.

- Metal
Latas de alumínio e aço, torneiras, canos, panelas sem cabo, tampas, embalagens descartáveis e pilhas.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Ser feliz é uma escolha...

Questiono bastante sobre o conceito 'felicidade'. Para a maioria das pessoas a felicidade está atrelada ao sucesso, ao dinheiro, à fama, beleza e todas as formas de conquistas.
Vivemos num mundo extremamente capitalista, o valor do ser humano é proporcional ao que ele possui. Quanto mais ele acumula, mais precioso se torna.
A mídia pode ser considerada grande vilã nessa história. Ela vende um modelo, um estereotipo de beleza, um padrão, quase inalcançável para a maioria dos mortais. Sim, porque o mundo real é feito de pessoas 'comuns'.
Na ânsia de tentar se aproximar de algo pré estabelecido, de conquistar muitas vezes o que está acima do que nossa capacidade permite, é que surge a depressão, fruto da decepção e do desgosto pela vida.
A depressão só foi reconhecida como doença a partir do século 20. Antes disso era banalizada e intitulada como 'doença de rico'.
Mas, voltando ao tema deste artigo, se não começo a divagar (uma idéia sempre vem acompanhada de outras tantas boas idéias), a felicidade é um estado de espírito, é uma questão de ponto de vista, de escolhas, não há uma fórmula pronta, para atingir tal sentimento.
Para um doente em fase terminal, a felicidade pode ser a cura ou o descanso. Para o filho que não vê os pais há anos, a felicidade pode ser o reencontro. Para uma mulher estéril, a felicidade é ter um bebê em seus braços. Para a família que mora de aluguel, a felicidade pode ser uma casa própria. Para o pai de família que está desempregado, a felicidade pode ser um trabalho que lhe dê dignidade.
Enfim, penso eu que a felicidade tem uma certa ligação com sonho. Quando realizamos algo que desejamos, a felicidade invade nossa vida.
Mas, podemos ser felizes se assim o decidirmos.
Quem se conhece verdadeiramente, quem não fere seus princípios e escolhas, quem consegue ver nos pequenos gestos e nas pequenas ações, a alegria que é viver...é feliz!
Penso que a vida é feita de momentos felizes, pois, a felicidade não é constante.
Feliz daquele que procura ser feliz, mesmo que a vida as vezes seja tão dura.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Gripe suína...pânico mundial!

O assunto já se tornou maçante. Todos os dias os noticiários revelam novas vítimas da gripe suína, ou Influenza A (H1N1). Confesso que começo a ficar preocupada, ou melhor, apavorada!
A transmissão agora é 'sustentada', ou seja, o vírus circula livremente pelo país, e não se sabe mais sua origem. Sim, porque a princípio o México foi pioneiro em desenvolver casos da doença. Os primeiros infectados aqui no Brasil, foram pessoas que tiveram contato com alguns países estrangeiros ou com viajantes que do exterior retornavam.
Agora a situação se agravou de tal forma, que a contaminação pode acontecer pela transmissão no ar.
A população já se habitou a ouvir a palavra pandemia. Fiquei curiosa e fui saber o real significado no dicionário Aurélio e eis que minha perplexidade aumentou (surto de uma doença com distribuição geográfica muito alargada).
É bem verdade que a gripe suína tem taxas de mortalidade iguais ou um pouco maiores do que a da gripe considerada 'comum', mas, o que assusta é que o Influenza A (H1N1) pode afetar diretamente os pulmões e se transformar num quadro grave de pneumonia. Se não tratado logo nos primeiros sintomas, o paciente pode ir a óbito rapidamente.

Porque a gripe se chama suína?

É um pouco confuso responder essa questão pois, já li diversas hipóteses, entre elas cito as respostas mais comuns:

- Houve uma mutação da gripe presente nos porcos com o vírus da gripe humana, que resultou na pandemia de gripe suína.
- Ou ainda que a transmissão ocorreu, por meio de pessoas que tiveram contato com porcos mais precisamente os criadores.
- Já a Folha Online, em matéria publicada dia 14 de julho, declara que segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a gripe suína é causada pelo vírus influenza A (H1N1) que não havia circulado antes entre seres humanos. Não há informações de pessoas que foram infectadas pelo vírus ao ter contato com porcos ou outros animais, e não se sabe qual a localidade de origem do vírus.

De qualquer forma, não há relação do vírus com o consumo de carne suína, pois, esta passa por um processo de cozimento que destrói qualquer tipo de vírus e bactéria.

Os sintomas

Embora parecidos com a da gripe comum, porém mais intensos são eles:

- Febre alta (a febre já se inicia a 39º)
- Dor de cabeça (intensa)
- Calafrios (frequentes)
- Cansaço (extremo)
- Dor de garganta (leve)
- Tosse (seca e contínua)
- Muco (pouco comum)
- Dores musculares e nas articulações (intensas)
- Ardor nos olhos e narinas (intensos)
- Náusea, vômito e diarréia

Portanto, vamos ficar atentos. Se aparecer alguns desses sintomas, procurem um posto de saúde mais próximo. Se tratado a tempo, a gripe suína não representa riscos.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Multa de R$ 80,00 se fizer xixi na rua...

Dia desses, conversando com uma amiga que ama o Rio de Janeiro, comentávamos sobre a mania do povo carioca de urinar nas vias públicas. Ela me disse que em alguns bairros, geralmente onde estão concentrados barzinhos, o cheiro de xixi é extremamente desagradável e que a galera não tem o menor pudor. Qualquer lugar pode virar banheiro público pois, eles não pensam duas vezes e nem se preocupam em procurar um local adequado, se escondem em qualquer cantinho e aliviam a bexiga.
Rimos bastante dessa estranha mania, porque aqui em São Paulo esse hábito já não é tão comum. Recorremos a essa tática, somente em caso de extrema urgência.
Lendo o jornal Folha de S.Paulo do dia 19 de julho, uma matéria me chamou bastante atenção. A Prefeitura do Rio de Janeiro vai punir quem for flagrado urinando em locais inadequados. A multa é salgada R$ 80,00.
De acordo com o texto, os locais mais conhecidos como mictórios, principalmente por motoristas são: avenida Infante Dom Henrique (conhecida como Aterro do Flamengo), a rua Ministro Raul Fernandes (em Botafogo), túnel Major Vaz (Copacabana), entre outros pontos de maior circulação.
O Rio de Janeiro continua lindo! Mas, não pode ser fedido né? Gostei da iniciativa pois, não há coisa mais constrangedora, do que presenciar pessoas liberando suas necessidades físicas em locais impróprios!

Fantástico ganha adversário de peso...

Fantástico foi ao ar pela primeira vez no dia 05 de agosto de 1973. Desde então, o Brasil pára para assistir os resumos da semana, num espetáculo que envolve informação e entretenimento.
Liderando a audiência por anos consecutivos, nenhum programa conseguia ocupar o espaço da principal atração dominical dos telespectadores. No dia 18 de abril de 2004, eis que surge na Rede Record de Televisão, o Domingo Espetácular, com proposta semelhante ao do concorrente porém, com uma linguagem mais leve, matérias jornalísticas com pautas modernas e de cunho mais social.
Embora tenha sido projetado para concorrer de forma direta, com os programas de auditório, devido ao horário em que vai ao ar, o Domingo Espetácular ganha cada vez mais elogios e adeptos.
O público agradece! Já há algum tempo, estamos carentes de novidades. A concorrência entre emissoras é benéfica à população, pois, temos mais opções e uma grade de programação com mais qualidade.

domingo, 19 de julho de 2009

Quem não tem dinheiro...lê jornal de bairro!.

Comprovado através de estatísticas, que o brasileiro em geral, não cultiva o hábito de ler jornal. O problema não é o desinteresse e sim a impossibilidade de pagar por um exemplar diário.
São tantas prioridades, que ler jornal virou quase um artigo de luxo. Existem outros meios, mais acessíveis de se manter atualizado. Um exemplo, são os noticiários televisivos e a informações veiculadas através da internet.
Os jornais de bairros, todos distribuídos de forma gratuíta, tem suma importância diante desta realidade. Cumprem um 'papel' digamos, social já que a população agradece a iniciativa dessas mídias.
Contraponto, jornal laboratório do curso de Jornalismo da USP publicou, na edição do mês de abril deste ano, uma matéria interessante sobre o tema. A principal denúncia são as novas mídias que ganharam o nome de 'jornalismo de fachada'. Publicações que utilizam o jornalismo como atrativo porém, tem como principal objetivo a veiculação de anúncios publicitários. Geralmente quem lidera esse tipo de mídia são as construtoras, que ao lançarem seus próprios 'jornais', deixam de anunciar nos veículos mais representativos. A matéria produzida por Rodrigo Borges Delfim, alerta a população para que não confundam esse tipo de produto com os jornais de bairro, pois, esse último atende interesses de toda a comunidade onde circula.
Mas, não podemos generalizar, temos muitos tradicionais que há anos prestam serviços à população como é o caso da Gazeta de Santo Amaro em circulação há 49 anos, Gazeta de Pinheiros há 53 anos, Gazeta do Ipiranga há 50 anos, entre outros, que tornaram-se referências, já que atuam com a intenção de cobrar dos órgãos competentes soluções para a população. Além, de manter atualizado os moradores do bairro e seu entorno e cultura local.
Os jornais de bairro já superam os diários tanto nos Estados Unidos como na Europa.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Caminhos da Índia...visita ao Projac...

Eu sei e todos sabem também, que a Rede Globo pode ser 'considerada' a dona da mídia no Brasil. Com 'produção totalmente horizontal', ou seja, (Rádio Globo, Jornal O Globo, Globo Filmes, Portal Globo.com, 90% dos canais pagos controlados pela Globo (NET), etc...) ela é a maior concentradora de propriedades.
Obviamente por esse fato, tudo que ela cria é de uma qualidade inquestionável.
Mesmo ciente do seu monopólio e por mais criticada que possa ser, quem nunca sonhou em conhecer de perto o Projac?
Esse era um dos meus sonhos, que felizmente consegui realizar. Em viagem ao RJ conheci por acaso, um grupo de amigos que trabalham há muitos anos na Rede Globo. É claro que não quis parecer tiete, e nem comentei do meu 'sonho', sim porque era um sonho. Sempre disse 'um dia vou conhecer o Projac', e esse dia chegou, para minha alegria. Recebi o tão esperado convite e vivi uma experiência única. Assisti a gravação de "Caminhos da Índia", na época ainda não tinha ido ao ar. Conheci todo a cidade cenográfica, construída especialmente para esta novela. Presenciei uma das cenas em que o Márcio Garcia contracenava com Jandira Martins.
A riqueza dos detalhes, não tem como descrever porque ali naquele mundo de 'faz de conta', tudo é perfeito. A maquiagem dos atores, o figurino, os comércios com produtos indianos, a mesquita (com o mesmo tipo de material utilizado nas construções da Índia), os carros, enfim...
Alguns cenários são fixos, como é o caso da igreja, ali naquele local, foram realizados todos os casamentos das tramas da Globo. Outros são temporários, ou seja, ficam montados enquanto durar as gravações. Camarins, salas de reunião, sala de descanso, toailetes, refeitórios para os funcionários, cada novela tem a sua.
O Globomóvel (aquele parecido com o do Vídeo Show porém, menos incrementado) é um dos principais veículos de locomoção dos funcionários. Até eu andei neles, pois, percorrer todo o Projac a pé é impossível. Só para chegar no estúdio onde era gravado "Caminhos da Índia" eu andei cerca de 30 minutos, debaixo de um sol castigante.
Quem não está habituado a ver artista circulando livremente, porque temos mania de endeusá-los, até enjoa. Eles andam aos montes, misturados aos muitos funcionários que ali trabalham.
Levei uma máquina digital para registrar os melhores momentos, porém, como a novela não tinha estreado, não tive autorização de tirar fotos. Essas três poses, consegui com muito esforço, escondida mesmo.
Minha passagem pela cidade maravilhosa foi curta. Se tivesse mais tempo, com certeza, teria conhecido todos os departamentos da Globo. Coisa que não dá para fazer em apenas um dia.
Este sonho eu realizei. Que venha os próximos!


quinta-feira, 16 de julho de 2009

Time do Corinthians ganha história em quadrinhos...

Inovadora iniciativa da BB Editora em lançar estilo Mangá, história em quadrinhos que conta a saga corinthiana.
É possível conferir, em páginas recheadas de humor, como o "Timão" reagiu depois da queda para a segunda divisão à conquista do título da Copa do Brasil.
O Mangá entrará em circulação no dia 25 de julho. Serão, ao todo, 50 mil exemplares divididos em duas versões. Uma, para livrarias e lojas do gênero, editada em capa dura com formato especial. Outra, produzida em formato de revista, para bancas de jornais.
Na edição em formato de livro e capa dura, a editora pretende inserir depoimentos de pessoas que fizeram parte dos melhores momentos do Corinthians. Ex-jogadores, celebridades e pessoas emblemáticas devem aparecer nas páginas "bônus" do material.
Rafael Silvestre cursou Jornalismo comigo, atualmente se graduou em Letras e trabalha como editor responsável da Editora BB.
A divulgação também foi feita pela Rede Globo, através do Programa Esporte Espetacular. Confira no link abaixo.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Negros também ditam moda...

Desfiles da São Paulo Fashion Week promove inclusão social

O Ministério Público Estadual assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), com os organizadores de um dos maiores eventos de moda do mundo. O acordo exige que 10% dos modelos de passarela sejam negros, afrodescendetes ou indígenas.
A moda é um dos segmentos que mais geram riquezas na economia mundial, e tem o poder de beneficiar desde a cadeia têxtil até a indústria de tudo relacionado à beleza.
É um mercado que dita tendências em vários setores, e poder ver ainda mais participação dessa minoria, que ainda é excluída, já é um grande passo na luta contra a discriminação racial.
Particularmente sou a favor da cota para negros nas universidades públicas mas, há quem defenda que isso é inconstitucional e que a medida serve mais ainda para fomentar o preconceito.Precisamos de representações negras nos mais variados cargos de destaque.
A vitória de Barack Obama é um marco bem significativo, já que foi o primeiro Presidente negro eleito, na história dos Estados Unidos.
Antigamente os talentos afrodescendentes eram revelados através do mercado musical (principalmente a Black music) e do esporte (futebol, basquete, etc), hoje vemos com um pouco mais de frequência, negros exercendo papéis de destaque em novelas e nos noticiários televisivos.
A luta contra o preconceito racial, acredita-se que já passa dos 120 anos. Infelizmente é algo que demora a surtir efeito pois, é necessário uma mudança cultural. Mas, estamos no caminho. Como diria Nelson Mandella (ex-presidente da África do Sul e Representante do Movimento Anti-apartheid) "eu odeio o racismo, pois o considero uma coisa selvagem, venha ele de um negro ou de um branco ".

Afinal...para que serve a comunicação???

O diploma caiu, o mercado fechou e o bolso esvaziou. E agora José?

Com a polêmica decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), ficou definido em 17 de junho de 2009, que o diploma de jornalismo não será mais obrigatório para exercício da função. Ou seja, qualquer um, independente da formação profissional, pode 'virar' jornalista e trabalhar sem nenhuma restrição, em qualquer veículo de comunicação.
É desnecessário dizer o quanto a classe ficou indignada.
Desvalorizados pelo mercado, com teto salarial baixo, sem campo de atuação e agora com um diploma digamos assim, sem validade alguma, qual seria a solução digna para esses profissionais?
Se as empresas se conscientizassem da importância da comunicação corporativa, muitas vezes tão essencial quanto um departamento comercial ou financeiro, os milhares de jornalistas que hoje se formam e não encontram campo de atuação, poderiam ser alocados para essa área.

Quem não se comunica...não deslancha no mercado

Infelizmente muitas empresas ainda não fazem de forma adequada, um planejamento estruturado de comunicação. Apesar de ser uma ferramenta básica, tem que ser bem utilizada pois, pode significar tanto o sucesso, quanto o fracasso de uma organização.
Podemos entender por "comunicação", tudo que envolve idéia, emoção, habilidade, uso de palavras, imagens, números, gráficos, enfim, todos os recursos que utilizamos para transmitir ao receptor uma mensagem ou um conhecimento.
Ou ainda, toda tentativa de compartilhar algo (independente se for uma comunicação verbal, subjetiva, visual, institucional, interna, entre outros).
A comunicação corporativa deve fazer parte da filosofia da empresa, é essa ferramenta que irá criar relações sustentáveis, e se não surtir efeito primeiramente com o público interno, dificilmente terá êxito com o externo.
Pessoas diferentes deverão ter a mesma imagem da instituição, esse é o objetivo almejado.
Conhecer seu público, o assunto que está em pauta, ter uma linguagem específica e interessante (direcionada para determinado objetivo) e um discurso coerente com a prática, são esses pontos que serão diferenciais, para posicionar a organização no mercado e estimular ações internas que ampliem a produtividade.
A boa comunicação é a base da liderança e do sucesso no mundo empresarial.


História de um Quadrinhista

Meu blog, embora não tenha nenhum intuito comercial, ficará disponível para divulgar trabalhos de alguns amigos, como é o caso do Moacir Torres.
Embora poucos saibam, ele é o pai (criador) da "Turma do Gabi" uma galerinha que encanta o público infantil, com suas travessuras e mensagens educativas.
Antes de conhecer esse ilustre desenhista, já era fã do seu trabalho, e provavelmente os leitores já devem ter visto, ou até mesmo, adquirido uma das edições de suas revistas, encontradas nas principais bancas de jornais do país.
Moacir sofre pela falta de incentivo artístico e diz que é difícil permanecer nesse mercado, e que muitas vezes se viu obrigado a complementar o orçamento familiar com atividades paralelas (ilustrações, cartuns e charges).
Para conhecer mais sobre a "Turma do Gabi" acesse: www.turmadogabi.blogspot.com

Breve apresentação...

Moacir Torres, nasceu em Agudos, SP, em 1957, e reside em Indaiatuba (SP) desde 1993. Começou como desenhista na TV Cultura em 1974. Fundou em 1978 (Santo André) com Cláudio Feldman, a Editora Taturana, que publicou dezenas de títulos, além de periódicos como o “Jornal da Taturana” e “Tempo Livre”. Trabalhou como arte-finalista para a Ed. Abril e ilustrou o suplemento “Diário Criança” do jornal “Diário Popular” de São Paulo por cerca de dez anos. Participou de várias coletâneas literárias e de dezenas de salões de humor e HQs. Criou e publicou várias revistas em quadrinhos, atividades e livros infantis. Duas revistas infantis criadas por Torres foram lançadas recentemente
na Espanha e em Portugal. Atualmente ministra oficinas de desenho e vem produzindo várias revistas de atividades infantis para editoras, além de passatempos e quadrinhos para vários jornais brasileiros.

Por: Moacir Torres
...Eu conheci a primeira revista em quadrinhos com uns nove anos de idade, achei o “Gibi” (A revista Gibi ficou tão conhecida, que todos acham que revista em quadrinhos é um gibi) jogado no lixo juntamente com outras revistas e jornais da época, pois éramos pobres e tínhamos outras necessidades. Agradeci e agradeço até hoje aquela pessoa que ao jogar a revista de HQ no lixo, veio me proporcionar um interesse muito grande pelos quadrinhos. Daquele momento em diante, passei a ler mais (trocava umas edições com meus amigos de escola) e a desenhar os meus próprios gibis. Todos gostavam, elogiavam e me incentivavam a continuar.
O dom de desenhar que o nosso mestre maior (Deus) me deu de graça, eu procurei aperfeiçoa-lo, mesmo com as dificuldades que tínhamos. Desde o princípio coloquei em minha mente que seria um desenhista, e um dia faria HQS como aqueles gênios da época: Luiz Sá, Nico Rosso, Eugenio Colonnese, Gedeone Malagola, Ziraldo e muitos outros. Então resolvi me dedicar totalmente a arte do traço, mesmo contrariando meus adoráveis e queridos pais, que achavam que eu estava perdendo o meu tempo com o desenho. É claro que mais tarde viram que a minha persistência, fé determinação e luta foram cruciais para que eu viesse a conseguir até mais do que desejei ou sonhei. Por isso, meus caros amigos, leiam HQS (brasileiras de preferência), pois a nossa classe artística anda meio desanimada, pois não existem incentivos específicos para que possamos nos entregar de corpo e alma aos quadrinhos, temos que fazer algo paralelo (ilustrações, cartuns e charges) para sobreviver. Estou apostando nessa nova geração de quadrinhistas, para que eles dêem continuidade na nossa luta e mude a história das HQS nacionais.
Nessa minha caminhada, já criei a “Turma do Gabi” e mais de cem outros personagens, cheguei a desenhar umas quinhentas páginas de quadrinhos dessa galerinha que já foram publicadas em revistas próprias, e em vários jornais.

terça-feira, 14 de julho de 2009

A copa do mundo é nossa...

Resolvi registrar em meu blog, agora no ano de 2009, todos os projetos que a cidade de São Paulo tem (muitos ainda em fase de aprovação) para receber o maior acontecimento esportivo do mundo. Em 2014, ano da Copa no Brasil, vou ler novamente este artigo e conferir se a programação se cumpriu, se não toda, pelo menos parte do que o Governo Federal em parceria com a Prefeitura do Estado de São Paulo e iniciativas privadas, pretendem implantar.
A "Revista da Folha", encarte que acompanha o jornal "Folha de São Paulo" todos os domingos, do dia 12 de julho, publicou uma matéria completa sobre os investimentos que serão feitos na cidade (segue abaixo).

- Região da Luz repaginada (novo projeto habitacional para as favelas do entorno, que visa uma melhor imagem do local)
- Fim da Cracolândia
- Trem Bala - Do RJ à SP
- Extensão das linhas do metrô (as principais serão as que conectam o centro da cidade ao aeroporto de Cumbica e Congonhas, porém, outras linhas de acesso serão criadas objetivando desafogar o trânsito caótico)
- Construção de novos equipamentos culturais (com infraestrutra e projeto arquitetônico moderno)
- Mais fluidez no trânsito (reforma na Marginal Tietê)
- Mais áreas verdes, segurança, empregos, educação e melhoria nas prestações de serviços
- Crescimento do setor hoteleiro
- Reforma no estádio do Morumbi

O Prefeito Kassab declarou, que todas essas mudanças foram pensadas no sentido de beneficiar a população após, o evento.
Estamos na expectativa!
Meu ingresso vou garantir! Não quero ficar de fora desta festa histórica.
Até 2014!

sábado, 11 de julho de 2009

Eu fui e indico - Museu da Língua Portuguesa

Dica Cultural...
A Língua Portuguesa sofreu várias evoluções e adaptações desde sua origem. Fruto de influências de outros povos e culturas, já que o Brasil é composto por uma população altamente miscigenada.
Incorporamos, de forma natural, novos vocábulos provenientes de gírais, termos internéticos, influências regionais e estrangeiras, e tudo isso pode ser conferido através do Museu da Língua Portuguesa.
Uma viagem ao tempo, desde os nossos primórdios até os dias atuais, um despertar curioso de tudo que se refere ao nosso idioma.
Funciona dentro da Estação da Luz, de terça a domingo das 10h às 18h. Aos sábados a visitação é gratuíta.
Um programa que vale a pena!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Eu li e indico - Falcão Meninos do Tráfico


Falcão – Meninos do Tráfico mostra, sem meias verdades, a falta de perspectivas dos jovens que são seduzidos pelo crime. Não se trata de uma obra sensacionalista, pois o tema em si, já aguça a curiosidade daqueles que não vêem de perto essa realidade. O livro retrata cruamente em um relato humano e fiel, que não apenas choca, como clama por reflexão e ação. É necessário agir! Urgente! E é isso que MV Bill e Celso Athayde tentam passar a todo o momento ao leitor.
Em oito anos de gravações, 17 Falcões foram entrevistados em diversas partes do país, destes 16 morreram durante a execução do projeto que culminou no documentário e no livro.
Os autores em momento algum fizeram apologia ao crime, ou culparam alguém em especial, apenas tentaram mostrar de forma muito corajosa, o porquê da inserção de tantas pessoas num mundo ilusório.
Particularmente é a primeira vez que leio algo que se refere ao tema em questão tão verdadeiro e ao mesmo tempo óbvio. Existem as exceções sim mas, com tantos problemas sociais e indivíduos em situações de miserabilidade é fácil entender, não na visa cega e indiferente mas, com o olhar crítico, os anseios de quem ingressa neste caminho árduo.
Imagine um jovem, morador de uma favela. Dificilmente ele terá acesso à saneamento básico adequado, ensino que lhe dê condições de ingressar em uma universidade pública, alimentação essencial, entretenimento, enfim, ele será, salvo raras exceções, reflexo do ambiente em que vive.
Isso não é justificativa para quem opta pelo caminho do crime. Celso Athayde faz, em uma passagem do livro, uma observação interessante “todos os bandidos que conheci sempre foram muito carentes. Sempre se mostraram contra o crime e inconformados de viver daquela forma”…
Através dos relatos dos Falcões é fácil observar que são essas faltas de oportunidades, direitos de todo ser humano, que os levam a iniciar-se no tráfico de drogas poucos, entram apenas por gosto.
Esses 17 Falcões, na realidade, representam os milhares de necessitados que hoje estão num estado de total vulnerabilidade social.
Muito se discute sobre a existência de um poder paralelo. Porém, fica evidente, e um exemplo são as ondas de ataques do PCC, que não se trata de algo meramente amador. Esses grupos exercem uma influência muito significativa dentro das periferias, que são os locais onde há ausência quase total do Estado. É possível observar que a hierarquia e administração funcionam como qualquer outra empresa. O poder paralelo emprega, auxilia e cuida da questão social. Percebe-se claramente que enquanto o Estado não intervir com ações de resultado rápido, este poder tende a ganhar cada vez mais força.
É válido afirmar que nem todos os moradores de favelas sobrevivem do tráfico ou se associam pela identificação ou benefícios que ele promove. Muitas são forçados pois, é a lei que impera lá. Ou você acoberta e apóia ou, sofrerá represálias.
Falcão – Meninos do Tráfico é um grito de alerta da sociedade. É um pedido urgente de socorro. É chegado o momento de sairmos da inércia para combater esse mal.
A sociedade civil deve descruzar os braços, parar de fingir que isso não existe apenas porque não os afeta de forma direta. A recuperação pode surgir da união da sociedade, ONGs e do estado, o qual devemos cobrar uma postura séria, urgente e necessária no que diz respeito à uma política de recuperação das regiões mais afetadas por essa vergonha.

Blog - ferramenta ou arma?


Já faz algum tempo que o blog deixou de ser um diário cyber, uma página de registros pessoais, muito mais do que isso, tornou-se uma importante ferramenta social.
Com a proibição da livre atuação da imprensa no Irã, ferindo a liberdade de expressão, o país agora passa a ser conhecido como "paraíso do jornalismo cidadão".
É através e graças aos "blogueiros", que o mundo está tendo acesso ao que ocorre por lá (existe atualmente 60 mil blogs ativos). A própria comunidade se encarrega de propagar as notícias (via internet, celular, entre outros meios). Embora às informações muitas vezes não sejam 100% confiáveis, essa foi a alternativa que encontraram, de "driblar" o regime iraniano.
Essa opção no momento, está sendo viável porém, é preocupante os "danos" que isso futuramente pode causar.
É impressionante como a mídia tem o poder de alavancar e ao mesmo tempo, destruir uma imagem. Como é o caso do Rei do Pop Michael Jackson, falecido no dia 25 de junho, que teve sua vida devastada pela imprensa. Mesmo após, sua morte é impressionante as contradições veiculadas sobre o astro.
Parece que estamos em vias de perder a qualidade do verdadeiro jornalismo, aquele que é apurado, investigado antes de ser publicado. Ávidos por destaque e na ânsia de ser o primeiro a noticiar um fato, os veículos de comunicação se engalfinham cada vez mais e ao meu ver perdem o sentido humanitário que deveria ser prioridade.
Portanto, atenção blogueiros! Não podemos culpar apenas às mídias, a responsabilidade também é nossa!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Da Crítica ao Reconhecimento



Políticas Públicas aliada à vontade política

Por: Fernanda Silva e Vanessa Pereira dos Anjos

Uma cidade fadada ao fracasso. Esta era a visão do município de Diadema no final do século XX, que chegou a registrar 374 casos de homicídios e figurar com folga o ranking de violência no Estado de São Paulo.
Neste contexto, com a população coagida e sem auto-estima, a cidade que até então era considerada um dos grandes geradores de emprego e renda do Estado, viu-se impotente diante da migração do seu pólo industrial.
Diante deste cenário alarmante, o então prefeito José de Filippi Junior, criou em 2001 a Coordenadoria de Defesa Social, que em 2003, passa a ser considerada Secretaria Municipal. Uma das ações implantadas pela coordenadoria no sentido de minimizar o caos enfrentado pelo município foi à criação do “Observatório Municipal de Criminalidade”, responsável pelo levantamento estatístico e planejamento de políticas de prevenção e combate à criminalidade. “A partir disso começamos a criar políticas públicas, uma delas foi a “Lei de Fechamento de Bares”, expôs o Secretário Municipal de Defesa Social, José Francisco Alves. “Enquanto a polícia faz a investigação criminal, nós fazemos a investigação social” finalizou.
A Lei Municipal nº. 2.107, “Lei de Fechamento de Bares”, tem por objetivo estabelecer normas especiais para o funcionamento de bares e similares, de autoria da vereadora Maridite Cristóvão de Oliveira foi sancionada em 13 de março de 2002, e restringe a abertura dos estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas, das 23h às 6h, todos os dias.
Estudos comprovam que houve queda de 95% dos homicídios, dois anos após a implantação, o que equivale a 11 assassinatos a menos por mês. Esses dados foram apresentados pelos pesquisadores do PIRE (Pacific Institute for Research and Evaluation), e da UNIAD (Unidade de Pesquisa em Álcool e outras Drogas) da Universidade Federal de São Paulo, encomendada pela Prefeitura de Diadema.
Antes de entrar em vigor em 15 de junho de 2002, a Prefeitura promoveu uma mudança cultural na cidade, ocorreram 105 audiências públicas, distribuição de panfletos, informativos, informações veiculadas em jornais e rádios, o que resultou em 83% de aprovação popular após, a implantação o índice passou a 93%. Outros indicadores que sofreram redução com sua efetividade foram agressões, lesões corporais, acidentes de trânsito e violência doméstica.
O “Programa Diadema Legal” é responsável pela eficácia e cumprimento da lei, composta por um coordenador e doze fiscais, que se revezam diariamente, pelas polícias CiviI e Militar e Guarda Civil Municipal, o roteiro é disponibilizado à equipe antes das rondas, para evitar corrupção. “A fiscalização em Diadema é rigorosa, o que resultou na diminuição da criminalidade. É uma das poucas leis que tem efetividade”, afirma o vereador Célio Boi do (PSB).
As penalidades para os donos de estabelecimentos não são de ordem criminal, e sim administrativa, ou seja, a cada reincidência são mais severas. Advertência na primeira violação, multa na segunda, multa e suspensão temporária da licença na terceira e revogação da licença na quarta, o que pode ser revertido após, doze meses. Licenças especiais são disponibilizadas, desde que cumpram as exigências da lei.
Outro ponto observado através do mapeamento criminal, responsável por apresentar índices preocupantes de violência, foi o alto número de adolescente com idade entre 16 a 25 anos, assassinados no ano de 2001, cerca de 109 casos. O que motivou o poder público a criar projetos como Centro Integrado de Videomonitoramento (47 câmeras de segurança, instaladas em locais apontados como preocupantes); Campanha de Desarmamento Adulto (1.600 armas dos mais diversos calibres apreendidos); Anjos do Quarteirão (ronda que fortalece a relação da GCM com a população); Mediação de Conflitos (difundi a cultura de paz como alternativa para resolução de atritos familiares, comunitários e sociais); Urbanização de Favelas (225 favelas transformadas em Núcleos Habitacionais); Telecentro (ensino à distância em segurança pública para a GCM; Fórum Itinerante de Segurança (troca de informações entre a polícia e a comunidade) e Operação Centopéia (fiscaliza os condutores e documentações).

Uma porta para o futuro

A cidade de Diadema possui aproximadamente 30% de sua população formada por jovens de 14 a 25 anos, o que levou os dirigentes a adotarem políticas públicas de caráter educativo e forte impacto social.
Com o crescimento desordenado do município, desde sua emancipação em 1948, proveniente da forte expansão dos centros urbanos, Diadema possui hoje a segunda maior densidade demográfica do Brasil, 13 mil habitantes por km².
Atualmente o “Programa de Urbanização de Favelas” já beneficiou 100 mil pessoas. Os 225 núcleos habitacionais contribuem de modo significativo para a redução da mortalidade infantil, devido às obras de moradia, saneamento básico e pavimentação que facilitam o acesso aos serviços de limpeza. Desde 1990 a cidade registra apenas 15/1000 casos de morte infantil.
Por outro lado, as poucas opções de lazer para os adolescentes, além de ser preocupante é um fator preponderante para alavancar os números de homicídios nesta faixa etária. Através do mapeamento criminal, e ciente desta realidade, as autoridades observaram a necessidade de aliar a “Lei de Fechamento de Bares” a outros projetos de inclusão social.
O “Adolescente Aprendiz” atende jovens, com idade de 13 a 17 anos, provenientes de regiões que apresentam alta vulnerabilidade social. Esta iniciativa tem a parceria do Governo Federal através do PRONASCE (Programa Nacional de Segurança com Cidadania). Os participantes recebem uma bolsa auxilio no valor de R$ 100,00 no contra turno escolar. “Mais de 12 mil foram beneficiados pelo programa”, ressaltou o Secretário José Francisco Alves.
Além, de oferecer ações educativas, destinadas a cidadania, mercado de trabalho e redução da violência, conta com a participação ativa da comunidade.
A Editora Abril ciente da responsabilidade social, apóia a “Campanha de Desarmamento Infantil” na doação de revistas educativas, em troca de armas de brinquedos que são triturados pelo programa de reciclagem do município. Outra medida adotada pela Prefeitura é a proibição e comercialização de réplicas de armas.
Neste sentido, além de retirar brinquedos que promovem a violência, as crianças compreendem melhor a chamada “cultura de paz”, através de ilustrações alusivas a este tema. Esta ação resultou na entrega de 18 mil armas e 70 mil desenhos temáticos.
O “Clubinho da Guarda” monitorado pela GCM (Guarda Civil Municipal) proporciona atividades de recreação, cidadania, cultura e civismo e já atendeu 71 mil crianças.
Segundo estatísticas da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, 2004 apresentou 56 casos de homicídios comparado aos 109, no ano de 2001. Apesar da redução, o tráfico de drogas continua a alavancar esses índices. “As políticas públicas, não podem ser vistas como a única responsável desta articulação maior, representa uma parte diante do todo, diante de nós enquanto sociedade”, explica Dr. Rafik Jorge Chakur, mestre em psicanálise e especialista em toxicomania pela UNIFESP.
E complementa “o fechamento de bares contribui para diminuir o consumo de drogas psicoativas, porém, é necessário um conjunto de medidas de cunho social, que terão como enfoque a abertura de espaços culturais, esportivos e atividades correlacionadas que busque com que estes jovens tenham um maior leque de opção perante a vida e não somente uma visão restrita”.
Para o vereador Célio Boi, a única política pública capaz de minimizar este problema é o investimento na educação “quando se investe em educação, a tendência da violência é decair. Para amenizar a criminalidade no Brasil e não só em Diadema, temos que empregar muitos recursos para sair deste cenário”.
A questão da Segurança Pública na visão do prefeito Mário Reali, só obteve sucesso e resultados satisfatórios através da continuidade de governos. “As políticas públicas implantadas foram se complementando a cada mandato. Além disso, o Partido dos Trabalhadores tem como marca as políticas sociais que, sem dúvida, tem uma interface direta com a segurança pública”, finalizou.

Uma nova Visão

Diadema ao longo dos últimos anos se transformou em modelo, não só nacionalmente como internacionalmente. Este destaque foi conquistado através da continuidade de seus projetos, que a cada ano ganha novas vertentes, ou seja, a preocupação dos representantes municipais aliadas às instituições governamentais e não governamentais e o apoio irrestrito da sociedade.
O primeiro “Plano de Segurança Pública” foi desenvolvido em 2001 pela Prefeitura, já o segundo realizado em 2004, teve a parceria do “Instituto Sou da Paz”.
Neste ano, já em fase de análise, será aberta licitação para determinar as mudanças. Mesmo com a forte repercussão e resultados positivos, os governantes tem como prioridade aprimorar a cada gestão, todas as políticas públicas voltadas para a segurança. Neste ano, serão selecionadas cerca de 300 mulheres, advindas de áreas de vulnerabilidade social para trabalharem diretamente com as comunidades. Trata-se do “Mulheres da Paz”, em parceria com o PRONASCE, que tem por finalidade implantar a cultura da não violência entre as famílias. Nas escolas será feito trabalho semelhante.
Um aspecto relevante, porém pouco divulgado para a sociedade, que tem impacto considerável, é referente ao desempenho da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Hoje o município enfrenta um abandono parcial de sua corporação.
A Lei Complementar 994/06, ou “Adicional Operacional Localidade”, instituída tanto para a Polícia Militar como Civil, reduz os salários em até R$580,00, comparados aos oferecidos para esta mesma classe na cidade de São Paulo. Desmotivados os policiais após, dois anos de residência obrigatória, pedem transferência para cidades vizinhas (São Paulo ou São Bernardo do Campo), para receber a diferença salarial baseada no número de habitantes por localidade.
Já houve uma mobilização dos vereadores de Diadema, junto a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, para rever esta questão. Porém, ainda sem definição.
Hoje a cidade registra queda de 66,39% nos homicídios entre 2001 e 2007 e 79, 63% entre jovens de 16 a 20 anos. Ao longo de oito anos, 1.725 vidas foram poupadas. Comparado com 1999, esse número passa a 78,61%, conforme estatísticas da Secretaria de Segurança Pública do Estado.
No primeiro trimestre de 2009 foram registrados 14 homicídios, de acordo com dados da Secretaria Municipal.
Com a diminuição nos índices de violência, desde 2004, Diadema recebe grandes investimentos nas áreas de comércio e indústria. “Podemos citar a distribuidora da AmBev, e o Shopping Praça da Moça, inaugurado em maio deste ano, com investimento de R$ 200 milhões, mesmo com o cenário da crise internacional”, declarou Mário Reali. “Nos diversos casos o fator segurança e o emprego de recursos em políticas sociais, já que uma não está dissociada da outra, foram considerados para a escolha da cidade”, finaliza o prefeito. O Orçamento Municipal previsto para 2009 é de cerca R$ 634 milhões.

Relações Internacionais

- Diadema participou da Conferência de Lançamento da Rede Geumed – “Novos Desafios na Gestão do Espaço Público” – Tanger Marrocos.
- Foi reconhecida pela ONU, no 11° Congresso Mundial de Prevenção ao Crime e Justiça Criminal (Tailândia).
- Visitada por Gemma Galdon do Cifal / Barcelona (Centro Internacional de Formação dos Atores Locais), para conhecer as Políticas Públicas de prevenção a violência e programas de inclusão social.
- O ex-prefeito José de Filippi Junior ganhou uma bolsa de estudo da Universidade de Harvard, Estados Unidos, com o tema sobre Segurança Pública e Desenvolvimento Humano.

Estatística População

Total: 394.266 hab.
Homens: 190.344
Mulheres: 198.927
Densidade demográfica (hab./km²): 13.000
PEA (População Economicamente Ativa): 215.000 pessoas
Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 15,00
Expectativa de vida (anos): 69,93
Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,15
Taxa de Alfabetização: 93,20%
Taxa de analfabetismo: 6,8% (Censo IBGE/2000)
IDH-M: 0,790
IDH-M Renda: 0,721
IDH-M Longevidade: 0,749
IDH-M Educação: 0,901
Taxa de crescimento populacional anual: 2,48% (Censo IBGE/2000)
Número de bairros: 13 macro-regiões